15/11/2008

Plantão >> Náutico 5 X 2 Cruzeiro

por Emanoel Ferreira

A monotonia e a apatia passaram longe dos Aflitos neste sábado. Em jogo bastante movimentado, o Náutico goleou o Cruzeiro por 5 a 2 e vai dormir fora de zona de rebaixamento do Brasileirão. A Raposa, por sua vez, perderá uma posição no domingo, já que Flamengo e Palmeiras se enfrentam e obrigatoriamente um deixará os mineiros para trás. Em compensação, o confronto entre cariocas e paulistas também impede que o clube da Toca da Raposa deixe o G-4 por enquanto.

Na próxima rodada, o Timbu (15º com 40 pontos) joga fora de casa com o Figueirense em confronto direito contra o rebaixamento. O Cruzeiro (terceiro com 61) recebe o Flamengo, no Mineirão, em jogo que pode deixar um dos dois próximos da Libertadores 2009.

Ritmo forte

O primeiro tempo do jogo representou bem o momento que as duas equipes vivem no campeonato. Ambos precisavam da vitória. Ambos buscaram o gol a todo o momento. Cada um dentro de suas características, evidentemente.

Pelo Timbu, a velocidade de Gilmar e a técnica de Felipe fizeram a diferença. Aos quatro minutos, Alessandro achou o primeiro no meio da zaga celeste, que fazia linha de impedimento. O atacante chegou na frente de Leo Fortunato e bateu no cantinho esquerdo de Fábio para abrir o placar.

A festa que tomou conta dos Aflitos teve uma pausa 12 minutos depois. Guilherme lançou Camilo, que em posição de impedimento foi em direção à bola, parando assim que percebeu a presença de Ramires na direita. O volante entrou na área e marcou o gol, prontamente anulado pela arbitragem, que marcou a posição irregular de Camilo. O banco do Cruzeiro reclamou muito deste lance.

Mas nem houve muito tempo para reclamação. Aos 18, Henrique ameaçou chutar e achou Wagner na área pela esquerda. O camisa 10 bateu no canto esquerdo e deixou tudo igual. A festa agora era azul.

Mais uma comemoração frustrada. Apenas três minutos após o gol celeste, Henrique derrubou Gilmar no bico esquerdo da grande área. Pênalti para o Náutico. Felipe foi para a cobrança, fez a paradinha, deixando Fábio caído no canto esquerdo, e tocou no lado oposto: 2 a 1.

Gilmar continuou importunando a defesa adversária. Com 27 de jogo, ele cruzou da esquerda para a presença surpresa de Titi. O zagueiro bateu prensado, e Fábio fez a defesa.

No último lance do movimentado primeiro tempo, Guilherme foi lançado na área, pela direita, e bateu cruzado. Eduardo bateu roupa, e a zaga alvirrubra colocou para escanteio.

Ritmo forte também na etapa final

Se alguém aproveitou o intervalo para fazer alguma coisa e demorou um pouquinho para voltar perdeu um início de segundo tempo ainda mais alucinante que o do primeiro. Aos 50 segundos, Henrique evitou a saída da bola pela lateral, deixou Alessandro caído e cruzou na pequena área. Eduardo defendeu em dois tempos.

Mas então prevaleceu mais uma vez a técnica de Felipe. Com dois minutos, ele recebeu na área e chutou forte. A bola desviou em Thiago Martinelli e quase enganou Fábio, saindo pela linha de fundo. Na cobrança do escanteio, a bola sobrou com Titi na entrada da área. O zagueiro tocou por cima para Felipe, que finalizou por baixo de Fábio para marcar o terceiro.

O Cruzeiro não desanimou. Aos 11, Fábio foi lançado na meia-lua. Eduardo saiu do gol e evitou o segundo gol celeste. Era lá e cá. Seis minutos depois, Felipe mirou o ângulo esquerdo de Fábio e quase acertou. Mandou para fora. Com 20 minutos, Wagner bateu falta da direita e achou Ramires livre na pequena área. O volante, entretanto, cabeceou torto, para baixo e sem força, perdendo grande oportunidade.

Fábio evitou que o resultado se transformasse em goleada aos 27. Felipe fez inversão da jogada da esquerda para a direita e encontrou Ruy. De fora da área, o ala chutou forte, obrigando o camisa 1 celeste a desviar para escanteio.

A defesa de Fábio deixou o Cruzeiro vivo no jogo. Na jogada de perigo seguinte, Wagner bateu para o gol, e a bola bateu na mão de Hamilton dentro da área. Pênalti desta vez para os mineiros. Guilherme foi para a cobrança e marcou no canto esquerdo.

A ducha de água fria para os mineiros não demorou a vir. Aos 38, Felipe cruzou para Everaldo, que acabara de entrar, empurrar para o gol vazio após trombada de Fábio e Thiago Heleno. E aos 43, Felipe deixou Gilmar livre, e o atacante não desperdiçou, tocando no canto direito e fechando o placar.

Nenhum comentário:

A COLUNA PALAVRA DO AUTOR É UMA POSTAGEM PERIÓDICA ONDE O CRIADOR DO CRUZEIRO NEWS (EMANOEL FERREIRA) EXPRESSA SUAS OPINIÕES.
FALA COM ELE: emanoelferreira@ymail.com

BLOGS QUE INDICAMOS: